GUIA DE LEITURA

Se você me perguntasse quais textos ler, eu diria para CLICAR AQUI e achar uns 20 e poucos que eu classifiquei como os melhores. Mas vão alguns de que eu particularmente gosto (e que fizeram algum sucesso):

Caritas et scientia
(as saudades da minha escola)
A-Ventura de Novembro
(o retrato de um coração partido)
Vigília
(os sonhos nos enganam...)
Sairei para a boate e encontrarei o amor da minha vida
(ou "elucubrações esperançosas")
(a afeição por desconhecidos)
A tentação de Mãe Valéria
(trago a pessoa amada em três dias)
A nostalgia do que não tive
(a nostalgia do que não tive)

quinta-feira, 3 de julho de 2008

A tal maquininha da verdade

Acho insuportáveis essas maquininhas da verdade que alguns programas de TV tem usado para colocar entrevistas no ar e avaliar se as pessoas falam a verdade ou mentem.

Questionado sobre os métodos e resultados, o tal do perito que comanda a máquina chegou a afirmar que quando ela indica "verdade", a chance de acerto é de 95%, enquanto que, quando ela indica mentira, a certeza é de 99%.

Colocaram o Ronaldo, colocaram o casal Nardoni, colocaram inúmeras entrevistas recentes da TV brasileira e ali apuraram, com a majestade da pouca dúvida, o mais pretensioso veredito: o veredito sobre a verdade.

A máquina é bem simples. A entrevista vai passando e um visor na máquina vai indicando desde "verdade" até "mentira", passando por "altamente estressado","imprecisão", "dúvida" e etc.

O tal do perito vai analisando palavra por palavra e chega a dizer que trecho da frase está errado, até mesmo aventando hipóteses sobre porque a pessoa estaria mentindo. Ele é, de fato, um doutor da verdade.

E aí eu me pergunto: o que eu estava fazendo na frente da TV?

2 comentários:

Ricardo disse...

Bom, quando o Felipe se pergunta o que estaria fazendo na frente da TV, a máquina detectou um nível de stress muito alto, o que pode significar que...

ahhuahuahuahuahuahua

Excelente texto, abraços!

[MUSE, PORRA!]

Anônimo disse...

Com certeza muito bem escrito, provavelmente exaustivamente revisado no entanto descordo de sua opinião.Acho meio exagerada essa precisão apesar de não entender nada disso,mas imagina a revolução que pode trazer uma maquina simples ou nem tanto capaz de dizer se é verdade ou mentira.Seria como o exame de DNA numa maior escala.Concerteza uma revolução na humanidade já imaginou o poder disso a certeza...Uma revolução cultural mentiremos tão mal quanto crianças para o bem e parao mau.