GUIA DE LEITURA

Se você me perguntasse quais textos ler, eu diria para CLICAR AQUI e achar uns 20 e poucos que eu classifiquei como os melhores. Mas vão alguns de que eu particularmente gosto (e que fizeram algum sucesso):

Caritas et scientia
(as saudades da minha escola)
A-Ventura de Novembro
(o retrato de um coração partido)
Vigília
(os sonhos nos enganam...)
Sairei para a boate e encontrarei o amor da minha vida
(ou "elucubrações esperançosas")
(a afeição por desconhecidos)
A tentação de Mãe Valéria
(trago a pessoa amada em três dias)
A nostalgia do que não tive
(a nostalgia do que não tive)

quinta-feira, 6 de julho de 2006

Futebol: o circo sem pão.

De hoje em diante vou postar de vez em quando algumas redações que eu fiz para escola e que eu julgo não estarem burocratizadas, de maneira que podem constar nesse blog.
Essa que eu posto agora foi feita hoje mesmo, obedecendo à proposta: "Seguindo a política do Pão e Circo, o futebol é o Circo dos brasileiros?"

Estão convidados a fazerem comentários e a discordarem, mais uma vez.

Um abraço,
Felipe

PS: Deixo uma idéia para vocês refletirem:
"A EXCEÇÃO DA EXCEÇÃO É EXCEÇÃO?"



O CIRCO SEM PÃO

Prestes a ser desclassificada pelas eliminatórias que a vida traz, a população brasileira encontra-se diante de um completo ermo no que diz respeito às suas condições sociais. Somos um rico país de pobres, manipulados pelo poder político de uma elite que, não muito diferente do que acontecia na remota Roma Antiga, aliena o povo segundo a política do Pão e Circo, na qual o circo é o futebol, e o pão... que pão?!?

O fascínio que a bola e seus manejos – cuja técnica os brasileiros dominam brilhantemente – exercem sobre a população explicam a larga utilização do futebol como tema de propaganda política. Às imagens de candidatos ou às obras de governos associam-se as cores nacionais, numa clara alusão não à bandeira, mas à seleção e suas conquistas. Assim aconteceu, por exemplo, no período da ditadura militar, a qual, sob as graças da canção “Pra Frente Brasil”, usou da popularidade do futebol para maquiar suas ações e propósitos desumanos.

A alienação trazida pelo futebol é evidenciada pelo falaz nacionalismo que ele desperta. Somos brasileiros apenas torcendo pela Seleção, e não para nos unirmos sob nossa bandeira a fim de reivindicar questões de interesse público. Após a exaltação trazida por uma Copa, é cada um por si, e os de Brasília contra o resto. Além disso, vale lembrar que o campeonato mundial desvia das discussões políticas o foco da mídia, permitindo que os “homens públicos” estejam mais à vontade para realizar suas improbidades e manobras eleitoreiras.

Um vício como outro qualquer. Assim se encontra o futebol para considerável parte dos cidadãos auriverdes. O que antes era um hábito de fim de semana como beber para relaxar, tornou-se um alcoolismo diariamente vivenciado. O futebol transformou-se na fuga, na válvula de escape, na solução aparente, enfim, no Prozac para um povo maltratado e assolado pelas mazelas nacionais, dentre as quais se destaca a fome. Remédio perigoso, porém, já que rouba das pessoas a força de vontade de vencerem por si só suas dificuldades.

É fato, portanto, que o futebol é oferecido ao povo brasileiro como mera distração para os problemas que o afligem. Os sucessos de nossa seleção transformam-se na ilusão de que o país em geral também colhe seus louros, enquanto a frenesi de uma Copa do Mundo relega a segundo plano o que deveria ser assunto principal. Invertendo-se papéis, a bola domina o povo, transformado em espectador de um circo que entretem, mas não alimenta. Afinal, com vitória ou não do futebol brasileiro, a pergunta não se cala: e o pão?

12 comentários:

Luna disse...

cara se eu tivesse escrito, seria bem parecida com a sua. mas essa sua comparação de futebol com alcool foi muito boa mesmo cara, tá de parabéns. e esse final é um final muito 'luna' klnsadfnaldksfçads eu sempre termino minhas redações com uma coisa pra ficar na cabeça das pessoas e tal (; mandou bem. e eu admiro sua paciencia de ter um blog. porque o meu já foi pro espaço há alguns anos uhauhauauia te amo *:

Gabriel disse...

Não concordo.Todos os povos e culturas do planeta , tem sua forma de entretenimeno,isso é fundamental para o equilibrio mental dos seres humanos.
Concordo apenas , que alguns, se utilizam de subterfugios sujos para TENTAR transformar o futebol em manobra politica.mas a alienação do povo tem causas muito mais profundas que o futebol.No popular: "O buraco é mais embaixo".
A falta de acesso a educação , e a lavagem cerebral impostas as camadas mais pobres são muito mais dignas do titulo de alienadoras , que o entretenimento futebolistico.Eu sou aciduo frequentador do maracanã e nem por isso deixo de pensar.
essa ideia de futebol alienação pode até mesmo ser perigosa.culpar o futebol pode esconder o verdadeiro culpado.

marcella disse...

você já deve tá bem cansado de ouvir que você escreve bem pra cacete, principalmente de mim, que falo isso o tempo todo :B acontece que cada vez eu acho isso mais ainda e cara .. que redação é essa? aqueles caras que corrigem devem ficar assim :O hahahaha .. eu AMO esse jeito de terminar redação que fica tipo pra pensar sabe? eu tento fazer isso, juro . hahahaha .. tá foda, felipe =)

beijao

Alvaro disse...

Cara, me lembro de pensar exatamente como você dez anos atrás. Eu não poderia concordar mais: o futebol é o maior circo pro nosso povo.

Agora, esse governo se preocupou com a parte do pão sim. Esqueceu do fome zero? Hahahaha. Só rindo mesmo.

Termino citando o detestável Diogo Mainardi (que de vez em quando acerta uma): "Futebol é um troço irrelevante".

P.S.: Excessão da excessão foi pimba demais, hein Drummond? hahaha.

Alvaro disse...

Agora, o Gabriel atentou pra um detalhe importante também: o futebol é apenas uma das ferramentas usadas para se manter a alienação do povo. É usado sim pra esse fim, mas não é o único. E realmente, é preciso ter sempre isso em mente pra não acabar confundindo as coisas e caindo numa atitude extremada, que também não vai adicionar nada.

Rodrigo disse...

Concordo com tudo isso, só vou fazer um leve comentário sobre a sua crítica de que o brasileiro é brasileiro na copa, fora isso é cada um por si.
Concordo que o brasileiro só é brasileiro na copa, mas qual o grande problema disso? Nascemos aqui por acaso e não ganhamos nada disso que chamamos de Brasil. Ao contrário, é possível que tenhamos perdido. Aliás, o que é país? O que é Brasil? É só um nome usado pra identificar um território. Um território desigual nas suas características físicas e humanas. O que é servir o Brasil? Não existe nenhum ser com esse nome, a não ser que o Estado atenda por tal. Se for este o caso, cuspo no Brasil, e não sou filho disso! Até hoje nacionalismo desse cunho só foi usado pra por em prática teorias que pregam a tirania. Além disso o povo brasileiro nem existe, somos uma mistura de vários povos preparada numa panela de segunda categoria em cima da hora. Eu aqui no Sudeste, por que eu sou mais próximo de uma pessoa que mora no Sul do que de um português ou angolano?
Então pra que defender algo fictício, numa atitude que por tantas vezes na história só gerou inimizades que viriam a perdurar por décadas(quando não séculos)?
Sim, eu só sou brasileiro na copa. Sou tão brasileiro quanto sou vascaíno. Brasil pra mim é time de futebol pro qual eu torço de 4 em 4 anos. Não estou dizendo que não me sinto inclinado a ajudar ninguém. Sinto-me sim, inclinado a ajudar qualquer pessoa que precise, sem distinguir "nacionalidade" nem nada. Acontece apenas que eu estou mais informado da realidade daqui do que a de outros lugares.
Antes de cidadão brasileiro, eu sou cidadão do mundo, e ser humano.

[foi mal, me empolguei, mas eu não aguento ouvir reclamações do famoso "brasileiro só em copa" aueheau]

-=|®ömäñövë|=-™ disse...

Teoria da Conspiração?
Kara não tem nada com alienação e sim tudo com dinheiro a TV faz marketing para te vender a ideia que copa é bom e vc tem que assistir.O motivo de copa ocupar a capa de todos os jornais é porque vende e não porque uma elite ta mandando.Afinal de contas vende o que vende é interessante porque da dinheiro e só o dinheiro importa.

Vc deve entender que se a capa do jornal for o aumento da arrecadação de impostos no 2 trimestre de 2006 ou o crescimento de 3%+- do crescimento das grandes empresas em relação ao ano passano o jornal não vende.Mas copa vende de tudo até boletin do Faustão

Julia disse...

Cara eu concordo bastante com a sua opniao e concordo com os comentarios de que o futebol eh um dos fatores...Realmente os brasileiros se tornam brasileiros na copa e depois parecem que esquecem que sao brasileiros por serem brasileiros e que por esse simples detalhe deveriam tomar atitudes para o Brasil ir pra frente...Mas é o que acontece né ,tudo é comprado pelos ricos e desviado da atençao da populaçao...
Se o povo ficasse tao unido pra combater os problemas sociais do pais,como ficou unido na copa,o Brasil seria muito mais do que o pais do futebol..
-----
Bjus ;*

Marco Túlio disse...

Acho que a mídia é a principal causa da alienação futebolística

"A origem da negligência da população no que concerne a conjuntura socioeconômica do Brasil, está na mídia em geral, cuja prioridade, nessa época, é a difusão de notícias com informações apenas de cunho futebolístico, as quais na verdade deveriam estar em segundo plano. Ao invés de propagar e alertar as vigentes dificuldades, a mídia hipervaloriza a preferência popular, algo que nem sempre pode ser ponderado como pertinente e profícuo." (trecho retirado da minha redação)

Daniel disse...

O Alvaro... citar Diogo Mainardi é desespero já. :p
Tá certo que você (e o Diogo Mainardi) são so dois únicos brasileiros que não gostam de futebol, mas não precisa apelar.
Mas, criação de rixa à parte, realmente o futebol, no Brasil ressalte-se, é utilizado sim como forma de alienação. Aliás, atualmente, aqui, o que não é?
Vou me embora pra Estocolmo, que lá não sou amigo de ninguém, mas ao menos é um local civilizado...

Catarina Chagas disse...

Oi, Felipe!
Descobri o seu blog. ;)
Beijos

Palatus disse...

"Que pão?" - Boa pergunta, mas devo ressaltar, meu caro, que não só de pão vive ou carece o brasileiro, mas de uma estrutura muito mais ampla e socialmente estabilizada que lhe salve das mazelas políticas e lhe confira qualidade de vida. Tenho conhecidos que ganham bem, por tanto, têm bom "pão" na mesa e nos bancos, mas os amigos ou vizinhos de seus filhos não o têm...e aí, o que justifica tamanha desigualdade? Gostei de seu texto, eu como professor de redação dar-lhe-ia dez simplesmente pelo manejo com a língua(gem), capacidade de argumantação e, sobretudo, domínio de informação - o que falta em muitos jovens hoje. Entretanto, não concordo com alguns aspectos já destacados por leitores, a saber: concepção de alienação, patriotismo, participação política e poder mídia. Um abraço!