GUIA DE LEITURA

Se você me perguntasse quais textos ler, eu diria para CLICAR AQUI e achar uns 20 e poucos que eu classifiquei como os melhores. Mas vão alguns de que eu particularmente gosto (e que fizeram algum sucesso):

Caritas et scientia
(as saudades da minha escola)
A-Ventura de Novembro
(o retrato de um coração partido)
Vigília
(os sonhos nos enganam...)
Sairei para a boate e encontrarei o amor da minha vida
(ou "elucubrações esperançosas")
(a afeição por desconhecidos)
A tentação de Mãe Valéria
(trago a pessoa amada em três dias)
A nostalgia do que não tive
(a nostalgia do que não tive)

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

RAPIDINHAS DE FIM DE ANO (atrasadas)

SHOPPING NO NATAL
Estão extremamente insuportáveis. A começar pela dificuldade de estacionar, de circular, de pagar o estacionamento e tudo o mais. O que mais irrita, porém, é o exército de vendedores nas lojas, que ficam na porta secando você para entrar, com uma simpatia tão excessiva que até os mais carentes desconfiam. Na Taco, por exemplo, desisti de entrar na loja com "medo" de ser atacado por um dos mil atendentes que se enfileiram como em linha de tiro na entrada da loja para atender o cliente. O pior é quando eu não estou procurando nada na loja e entrei só para ver o que tem de novo. É tão frustrante para o vendedor: ele, ali, esperando sua vez no rodízio de receber o cliente para ao fim receber talvez uma comissão e eu, também ali, praticando o famoso "só olhando". Melhor não passar da vitrine.
E QUEM NÃO PASSA O NATAL COM A FAMÍLIA?
Creio que deve ser das horas mais penosas para a vida de um trabalhador ter que estar em atividade na noite do dia 24 de dezembro. Tudo bem que pode haver uma compensação financeira que valha a pena o sacrifício, ou simplesmente é o plantão dele, mas... como fica? Os garçons, que têm que ficar servindo festas alheias, os porteiros, cuidando da portaria, os policiais, preparados para na noite natalina atirarem a qualquer hora, os médicos, lidando com a vida e com a morte na data de celebração máxima da primeira,... Fazer o quê?
E A CHATICE DOS RITUAIS...
Não me convencem mais os mil rituais e superstições de ano novo. Na verdade, nunca me convenceram direito, mas lá vai que alguma coisa eu fazia com medo dos sete anos de azar.  Pular ondinha, levar flores, entrar com o pé direito, comer uvas e por aí vai. Esse ano passei a virada normalmente: virou 2009 numa contagem regressiva vários uníssonos e eu gritei como se me aliviasse de ter acabado a tal contagem. Bastou-me, e foi bom estar sem nenhuma preocupação em pisar primeiro com um dos pés ou em entrar no mar assim ou assado. Tudo isso é muita perda de foco. Ah sim... e passei de verde, porque não tinha camisa laranja para vestir na virada.

6 comentários:

fabiana disse...

É verdade... todo esse estresse de fim de ano. Esse ano eu passei o ano novo no avião, abraçando apenas um comissário super ultra gente boa que não podia ter ficado mais feliz. E foi muito mais legal do que pular mil ondinhas.

.luísa pollo disse...

quanto ao shopping.
te entendo, mas tambpem entendo os vendedores, agora que passei para esse lado vi o desespero que é ter que vender tanto em tantos poucos dias. não é fácil...
mas sim, acaba sendo incômodo.

e ah, tento passar de colorido, nunca com uma cor só. e sempre algo fresco, e faz tempo que não pulo ondinhas ou como uvas.
se pular ondas pelo frio para fazer xixi no mar conta como pular ondinhas...então eu sempre pulo!

fabiana disse...

Você tem razão, vender não é nada fácil nessa época agitada, sob pressão. Boa-vontade é tudo nessa época do ano, de ambas as partes. Bom é quando, no meio do suplício, encontro um vendedor atencioso, apesar de tudo.

Tati Martins disse...

Comento pouco, mas acompanho sempre pelo Google Readers.
Passa lá no meu blog que tem prêmio para vc!
Vou ficar desconectada por 15 dias.
Beijinhos

Palatus disse...

Oi Felipe, acho que vou virar aquele visitante chato por vir aqui olhar sempre as novas publicações e dizer "oi, gostei"...quando não gostar falo também...boa semana iminente, eminência!

Julia Leal disse...

Eu num acredito muito que dê certo, mas acho os rituais divertidos =)
Shopping em final de ano é uma droga mesmo.
;*